Projeto 2018: Brincadeiras e Invencionices

A Favinho & Mel Educação Infantil tem por tradição trazer em seu projeto pedagógico o brincar, por acreditar que ele reúne condições necessárias para um harmonioso desenvolvimento.

Neste ano o objetivo geral escolhido como tema enfatiza a cultura infantil em seus variados aspectos. Brincadeiras, naturais para bebês e crianças, estabelecem vínculos afetivos e sociais, nutrindo a segurança nas relações.

A formação permanente da equipe é fundamental na Favinho & Mel, garantindo o brincar, o recrear, o respeito à cultura da infância, acolhendo a multi-idade, cuidando da nutrição, oferecendo o acesso a multilinguagens no contexto de vida coletiva.

Desta forma, na dinâmica diária surgem brincadeiras e invencionices que envolvem o exercício da autonomia na atividade física, cognitiva e emocional, e os educadores são cientes da importância de suas intervenções, para que as crianças se mantenham ativas em suas descobertas.

Isso é reconhecimento da importância do brincar como parte integrante das vivências cotidianas, desde os primeiros dias de vida, fundamental na construção da identidade e personalidade da criança.

Em suas brincadeiras elas vivenciam um universo permeado pelo real e o imaginário. É no brincar que enfrentam desafios e criam hipóteses para além de sua realidade próxima. Ao brincarem desenvolvem as travessuras da imaginação, rebuliços do inventar! E seguem inventando para conhecerem o mundo.

Vale dizer que são os bebês e as crianças que iniciam, controlam e estruturam o processo de brincar e inventar. Educadores e adultos envolvidos desfrutam de suas companhias, organizando espaços e tempos, interferindo em suas ações somente em circunstâncias necessárias: nas disputas, em caso de cansaço e desconfortos, isto é, no reestabelecimento do bem-estar.

As crianças não podem ter as brincadeiras como obrigação. Brincar é sim um fim em si mesmo!  Gera habilidades sociais, afetivas, cognitivas, físicas… Brincar auxilia a controlar impulsos, lidar com frustações, negociar, criar estratégias e diálogos.

Desenvolver um modo particular de estar no mundo contribui para consolidar amizades e o pertencimento ao lugar onde se vive e convive.

Em uma escola situada em área urbana como a Favinho & Mel, as brincadeiras na natureza, ao ar livre, levam as crianças a apreciarem e compartilharem com seus pares e com os adultos as maravilhas e significados dos acontecimentos cíclicos e o cuidado com o planeta.

Os ambientes de convivência da escola são projetados justamente para que as brincadeiras e invencionices aconteçam espontaneamente, possibilitam incluir sabugos de milho, caroços de frutas colhidos no quintal, tecidos, panelas, caixas de papelão entre outras quinquilharias atraentes.

Tudo isso faz das crianças protagonistas, seres brincantes e inventores de um mundo melhor.

Os primeiros anos de vida da criança são cruciais e o modo processual que imprimimos em nosso trabalho pode ser conhecido pelas famílias através das crianças, dos nossos informes, canais de comunicação e mídias. Conteúdos culturais chegam as casas e podem ser compartilhados em contextos mais amplos.

A Malasartes (mala de brincar) e os livros de literatura infantil parte do acervo do projeto Vai e vem são alguns dos meios que dispomos para uma interação amorosa dinâmica e contínua entre crianças, famílias e escola.

No início do ano, na Semana de Formação, foi oferecido também o curso Brincadeiras de ontem, de hoje e de sempre. Aberto às famílias, educadores, estudantes e demais interessados.

Brincar e amar são universais e envolvem liberdade e proteção. Antes mesmo do nascimento brincamos. Crianças, brincamos. E nós adultos, como podemos continuar brincando e reinventando modos de brincar? Essa é uma das indagações que o tema propõe.

 

  • Referências Bibliográficas:

Barros, Manuel. Menino do Mato. Rio de Janeiro. Editora Objetiva, 2015.

Benjamim, Walter. Reflexões: a criança, o brinquedo, a educação. São Paulo. Summus Editorial, 1984.

Fonchi, Paulo. Afinal, o que os bebês fazem no berçário? Comunicação, autonomia e saber-fazer de bebês em um contexto de vida coletiva. Porto Alegre. Editora Penso, 2015.

Machado, Mariana Marcondes. O brinquedo-sucata e a criança: a importância do brincar, atividades e matérias. São Pulo, Edições Loyola, 2010, 7ª edição.

Maturana, Humberto. Amar e Brincar: fundamentos esquecidos do humano.  São Paulo. Editora Palas Athena, 2015, 4ªedição. “

Deixe uma resposta

Endereço

Rua Martins Ferreira, 23 e 25
Rio de Janeiro, Humaitá – RJ

Telefones:
(21) 2537-8189 / 2286-5482

Google Mapas